ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA

É aquela que funciona como objeto direto do verbo da oração principal. 1ª oração. 2ª oração. Eles não permitem / que os índios vivam em paz. oração principal. oração subordinada substantiva. objetiva direta. A oração objetiva direta: sempre se liga a um verbo da oração principal sem. preposição; • indica o alvo sobre o qual recai a ação desse verbo.

O artigo de hoje nos levará ao estudo das orações subordinadas substantivas. Para entendê-las precisamos estar em dia com as funções sintáticas de sujeito, objetos direto e indireto, predicativo e aposto. Portanto, é mister que se faça uma recapitulação daquelas funções. Procure nos artigos anteriores o que você precisa para se atualizar quanto ao assunto.

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS

São as orações que equivalem a um substantivo, funcionando como tal, sendo iniciadas, geralmente, por uma conjunção integrante ( que ou se )

Exemplo: Marta me disse que não iria ao passeio – que é a conjunção integrante – esta oração é subordinada substantiva. Fazendo a divisão do período, temos a oração principal, Marta me disse. Observando o verbo dizer (disse) faremos a pergunta: disse o quê? (quem diz, diz alguma coisa a alguém) a resposta será que não iria ao passeio. O verbo dizer é transitivo direto e indireto; pede um complemento. A oração grifada é portanto chamada de oração subordinada substantiva objetiva direta, pois funciona como objeto direto do verbo dizer.

Precisamos observar que tanto os pronomes interrogativos como os advérbios interrogativos podem iniciar também as orações subordinadas substantivas.

Exemplos: Joana te perguntou qual foi o resultado – qual é um pronome interrogativo. A oração grifada é subordinada substantiva.

Não sabemos o motivo pelo qual foi reprovado – oração subordinada substantiva.

Observação: Para saber se a oração é substantiva, substituímos pela expressão ISSO.

Veja os exemplos acima: Marta me disse ISSO (que não iria ao passeio)

Joana te perguntou ISSO ( qual foi o resultado)

Não sabemos o motivo DISSO (pelo qual foi reprovado)

CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS

Chamamos de oração subordinada substantiva subjetiva a oração que tem a função de sujeito, ou seja, ela vai funcionar como sujeito da oração principal.

Exemplos: É necessário que você venha – Fazendo a pergunta antes do verbo (o quê é necessário) a resposta é que você venha (oração subordinada substantiva subjetiva) que é o sujeito da oração principal.

Soube-se que o professor faltou ao treino – Fazendo a mesma pergunta antes do verbo (o quê se soube) a resposta é que o professor faltou ao treino (oração subordinada substantiva subjetiva) que é o sujeito da oração principal.

Observação: Observe que quando a oração for subordinada substantiva subjetiva, o verbo sempre ficará na 3ª pessoa do singular.

A oração subordinada substantiva objetiva direta é aquela que funciona como objeto direto da oração principal.

Exemplos: João sabia que sua promoção estava a caminho

Tomando o verbo da oração principal (sabia) vemos que não está com o sentido completo. Falta um complemento, pois o verbo é transitivo direto e pede um objeto direto. Perguntando sabia o quê, temos a resposta que sua promoção estava a caminho. É o objeto direto da oração principal, logo a oração grifada é subordinada substantiva objetiva direta.

O médico verificou que a pressão diminuía rapidamente – oração subordinada substantiva objetiva direta. Tomando o verbo da principal e fazendo a pergunta (verificou o quê) temos como resposta um objeto direto, pois o verbo verificar é transitivo direto.

Também temos a oração subordinada substantiva objetiva indireta que é aquela que funciona como objeto indireto da oração principal, e vem regida de preposição.

Exemplos: Não gostamos de que bebas pela manhã – oração subordinada substantiva objetiva indireta. O verbo gostar (da oração principal) é transitivo indireto e pede um complemento regido de preposição. Fazendo a pergunta (gostamos de quê) temos como resposta de que bebas pela manhã.

Meu chefe insiste em que eu faça extra – oração subordinada substantiva objetiva indireta

A oração subordinada substantiva completiva nominal é aquela que funciona como complemento nominal de um termo da oração principal e vem regida de preposição.

Exemplo: Meu pai sente orgulho de que minha irmã aprendeu português – oração subordinada substantiva completiva nominal. Vamos estudar a oração principal: o verbo é sentir, transitivo direto, que pede um objeto direto = orgulho. O nome orgulho não está com sentido completo. Orgulho de quê? De que minha irmã aprendeu português; é a resposta que completa o sentido do nome, logo é uma oração que funciona como complemento nominal.

Oração subordinada substantiva predicativa é a oração que funciona como predicativo da oração principal e geralmente vem iniciada com o verbo ser.

Exemplo: Nosso sonho é que tudo seja aprovado – oração subordinada substantiva predicativa.

Exemplo: O teu objetivo é que alcancemos o êxito – oração subordinada substantiva predicativa.

A oração subordinada substantiva apositiva é a oração que funciona como aposto de um termo da oração principal.

Exemplos:  De você esperamos só uma atitude: que não nos importune. Oração subordinada substantiva apositiva

Só nos sobra uma hipótese: aprovarmos o projeto. Oração subordinada substantiva apositiva

 

Exemplo: O teu objetivo é que alcancemos o êxito – oração subordinada substantiva predicativa.