FIGURAS DE LINGUAGEM I

FIGURAS DE LINGUAGEM I

SILEPSE

Hoje daremos sequência ao nosso estudo de figuras de linguagem, abordando a figura chamada silepse. É muito simples. Estude com atenção e certamente você dominará o assunto.

Definimos a silepse como sendo uma figura de linguagem de construção, em que a palavra ou o termo  empregado vai concordar com a ideia  associada à conotação da frase. Dessa maneira entendemos que a silepse é um recurso que usamos quando fazemos a concordância com a ideia e não com o termo expresso. Conforme a concordância  a ser efetuada, teremos três tipos de silepse:  de pessoa, de gênero e de número.

Silepse de Pessoa

Sabemos que as pessoas gramaticais são três: a primeira, a segunda e a terceira. A silepse de pessoa vai se apresentar quando houver um desvio de concordância. O verbo não concordará  com o sujeito da oração, mas sim com a idéia contida na pessoa que está inscrita no sujeito.

Exemplos:

O que não compreendo é como os brasileiros persistamos em aceitar essa tipo de situação.
Os agricultores temos orgulho de nosso trabalho.
“Dizem que os flamenguistas somos a maior torcida do país”

Observe que nos três exemplos a concordância não é feita com o termo expresso (pois se assim o fosse, o verbo estaria na terceira pessoa do plural), mas com a ideia ( nós ).

Exemplos:

Nos anos 80, os brasileiros tínhamos receio de investir no mercado

Observando outro exemplo:”A fome chegou à equipe e logo atacamos logo a mesa”.

A equipe é singular e a concordância seria “a equipe atacou”, mas como se trata de mais de uma pessoa concordamos com a ideia de “todos” que requer o uso do plural “atacamos”, pois estamos nos incluindo.

E nossa cidade todos éramos felizes graças ao trabalho.

Temos a silepse de número em “éramos”, que se apresenta  na primeira pessoa do plural, quando, deveria estar na terceira pessoa do plural.

Peço a atenção de todos os presentes para que reflitamos juntos.
3ª pessoa do plural / 1ª pessoa do plural

Silepse de Gênero

 Sabemos que os gêneros são masculino feminino. A silepse de gênero vai ocorrer quando a concordância se fizer com a ideia que o termo admite.

Exemplos:

A bonita Porto Alegre viveu mais uma vez um frio intenso.
Nesse caso, ocorre a silepse de gênero, pois o adjetivo bonita não está concordando com o termo Porto Alegre, que gramaticalmente pertence ao gênero masculino, mas com a ideia contida no termo (a cidade de Porto Alegre).
Vossa excelência está preocupado.
Nesse exemplo, o adjetivo preocupado concorda com o sexo da pessoa, que nesse caso é masculino, e não com o termo Vossa excelência, ensejando então um caso de silepse de gênero.

“Já vem chegando o sol, e São Paulo desperta, a princípio tímida, e logo agressiva e barulhenta”.

Outro caso de silepse de gênero que acontece com o termo tímida, que está no feminino (fazendo referência à cidade), quando normalmente esta construção deveria estar no masculino.

“Rio de Janeiro continua maravilhosa, agitada e violenta” – Outro caso de silepse de gênero, onde os adjetivos maravilhosa, agitada e violenta estão concordando com a idéia de cidade e não com Rio de Janeiro que é masculino.

Importante! Precisamos então entender que a silepse é um recurso estilístico muito utilizado em textos literários, na oralidade. O recurso  consiste em estabelecer uma concordância com palavras ou ideias pressupostas na frase e não com as palavras explícitas.

Silepse de Número

Também já sabemos que os números são singular plural. A silepse de número se apresentará quando o verbo da oração não concordar gramaticalmente com o termo expresso como sujeito da oração, e sim com a ideia que estará contida nele.

Exemplos:

procissão saiu. Peregrinaram por todas as ruas do bairro.
Como vai a turmaEstão bem?
povo corria assustado e gritavam muito alto.

Note que nos exemplos acima, os verbos peregrinaramestão gritavam não estão concordando gramaticalmente com os sujeitos das orações – procissãoturma povo – mas com a idéia de plural contida neles. Procissão, turma e povo dão a idéia de mais pessoas, levando os verbos para o plural.

Se ainda estamos aberto é por honra da firma”.

Aí está mais um caso de silepse de número com o termo “aberto”, que está no singular, quando normalmente deveria estar no plural, concordando com o verbo “estamos” abertos.