FIGURAS DE LINGUAGEM

Hoje vamos aprender duas das figuras de linguagem existentes em nossa língua: a metáfora e a metonímia.

Tipos de Figuras de Linguagem

São estas as figuras de linguagem:  metáfora, hipérbole, eufemismo, ironia, elipse, zeugma, comparação, metonímia, antítese, paradoxo, prosopopéia, pleonasmo, anáfora, sinestesia, gradação, aliteração, polissíndeto, assíndeto e onomatopéia. Dessas figuras, veremos hoje a metáfora e a metonímia.

As figuras de linguagem podem ser classificadas em figuras de palavras, figuras de som, figuras de pensamento e figuras de construção ou figuras de sintaxe

Metáfora é como vimos, uma figura de linguagem. É um recurso semântico utilizado para melhorar a expressão de quem fala ou escreve.  Ao ser empregada em uma frase, dá a ela um tom mais eloqüente.

Dessa maneira a metáfora é entendida como um artifício linguístico que  transfere significado de um vocábulo para outro, através de uma comparação não explícita. Reforçando o entendimento, é quando uma palavra está sendo empregada fora de seu sentido concreto, literal. Trata-se, portanto, de uma comparação implícita.

Exemplos:

As luzes brilhantes olhavam-me – Há a substituição do termo olhos por luzes brilhantes – Aí está a metáfora.

Aquela mulher é realmente uma gata – a metáfora está no termo gata, comparando a mulher como se fosse uma gata, fofinha, bonita, etc.

Ele me encarou e percebi que seu olhar era pedra – metáfora está no termo pedra que transmite a dureza (olhar duro).

Metonímia é a figura que nos apresenta uma  troca de termo por outro de mesma similaridade. Podemos dizer que é definida como a substituição de uma palavra por outra, desde que haja entre elas uma relação de contiguidade, ou seja, proximidade de sentido. Mais claramente é a substituição de palavras que apresentam uma relação de sentido entre si.

Na metonímia encontramos o uso da parte pelo todo, quando por exemplo dizemos eu gosto de ler Jorge Amado – usamos a parte (o autor) pelo todo (a obra).

A viagem à Lua significou um grande avanço para o “homem. (Neste caso a palavra homem foi empregada no lugar de “humanidade”. A parte foi citada para substituir ou representar o todo.)

Outros exemplos:

Os meninos comeram dois “pratos” no jantar.

Thomas Edison” iluminou o mundo.

Graham Bell” eliminou as distâncias