REGÊNCIA VERBAL

Regência Verbal

Chamamos de regência verbal a relação que o verbo tem com os termos que são usados para complementar o seu sentido. São chamados de complementos verbais e adjuntos adverbiais. Portanto, o verbo é o termo regente.

Convém lembrar que os verbos possuem uma transitividade. Assim um  verbo, dependendo da oração, pode se apresentar como sendo intransitivo, transitivo direto, transitivo indireto ou transitivo direto e indireto ao mesmo tempo (alguns chamam de bitransitivo).

Observe os exemplos abaixo:

A esposa agrada o esposo no sofá. (sentido de acariciar) verbo agradar transitivo direto, pede um objeto direto (sem preposição) – Quem agrada, acaricia, agrada, acaricia alguém.

A esposa agrada ao esposo no sofá. (sentido de dar prazer, satisfazer) verbo agradar transitivo indireto, pede um objeto indireto (com preposição) – Quem agrada, satisfaz, agrada, satisfaz a alguém.

Vamos observar alguns verbos que foram colocados nas orações seguintes, notando que sua regência se altera em função do significado.

Exemplos:

O montanhista aspirou levemente o ar vindo do vale – no sentido de cheirar ou sorver, o verbo aspirar é usado sem preposição. É transitivo direto, pedindo um objeto direto.

Ser professor sempre foi a profissão a que o meu pai aspirava. – aspirar no sentido de pretender ou almejar será transitivo indireto, pedindo a preposição a. – quem aspira, almeja, aspira a alguma coisa.

Quase ficou sem sentidos quando aspirou o gás que vazou do fogão. – no sentido de sorver ou cheirar é transitivo direto, pedindo um objeto direto.

O deputado, em final do mandato, aspirava ao cargo de governador. – no sentido de pretender ou almejar é transitivo indireto e pede a preposição a.

Observação

O verbo aspirar, como tantos outros verbos transitivos indiretos, não admite os pronomes pessoais oblíquos lhe/lhes como objeto. Precisamos substituí-los por a ele (s) /a ela (s).

Exemplo: A formação profissional é muito importante; todo jovem deve aspirar a ela.

Outro verbo que também possui múltiplas regências é o verbo assistir, como vemos nos exemplos a seguir:

O professor naquela sala assistia os alunos resolvendo as questões do livro. – no sentido de ajudar, prestar assistência ou socorrer, o verbo assistir é transitivo direto, pedindo um objeto direto, sem preposição.

Fomos convidados para assistir ao evento de caridade no orfanato. – no sentido de presenciar ou ver, o verbo assistir é transitivo indireto, exigindo a preposição a.

A minha mãe assistiu ao filme na semana passada. – assistir a = ver/presenciar – neste sentido é transitivo indireto, exigindo a preposição a.

O ginecologista assistiu sua paciente. – assistir = cuidou/socorreu – é transitivo direto e pede um objeto direto

Minha prima aspira à carreira de aeromoça comercial. – aspirar a = objetivar/desejar.

Lá nas montanhas, todos nós aspiramos um ar puro. – aspirar = respirar – sorver – neste sentido é transitivo direto.

Meu diretor assistiu em uma cidade do sul, durante 10 anos. – no sentido de residir, morar o verbo assistir é intransitivo e se constrói com a preposição em

No sentido de pertencer ou caber, o verbo assistir exige a preposição a, sendo transitivo indireto. Exemplo: Ao ser humano assiste este direito.

Rapidamente os paramédicos assistiram os feridos.

Você assistiu ao espetáculo teatral?

O direito de votar assisti a todo nós como cidadão.

Observação:

No sentido de “ver presenciar”, o verbo assistir não é construído com o pronome pessoal oblíquo lhe (s) como objeto. Essas formas serão substituídas por ele (s) ela (s).

Exemplo: A peça teatral foi ótima; você assistiu a ela?

Importante!

Entendemos que a regência verbal acontecerá em função do uso da expressão colocada na oração, ou seja, o verbo e o seu respectivo significado com seu complemento. Abaixo colocamos para sua orientação alguns verbos cuja regência é preposicionada e outros que não exigem a preposição. Observe:

assistir a;  obedecer a;  avisar a;  agradar a;  morar em;  apoiar-se em; transformar em;  morrer de;  constar de;  sonhar com;  indignar-se com;  ensaiar para;  apaixonar-se por;  cair sobre.

Procedeu à construção da escada.

Pagou ao empregado.

Desobedeceu ao professor.

Apoiou-se na escada.

Apaixonou-se por sua namorada

Meditou sobre a divisão da herança.

Aqui estão alguns exemplos de verbos cuja regência verbal não é preposicionada. Observe:

Leu o livro.  Comeu a comida.  Bebeu o refrigerante.  Ouviu a música.

Estudou a lição.  Fez o sanduíche.